Sociedade Bíblica do Brasil

Canal Luisa Criativa

 
Unidos por Jesus Cristo! Como Irmãos!
Grupo Público · 2.614 membros
Participar do grupo
Grupo de pessoas comuns e que temem à Deus... Atenção! Você meu querido amigo ou amiga que faz parte e é membro desse grupo, sinta-se a vontade para p...
 

Escola Bíblica

domingo, 31 de maio de 2020

ESCAVAÇÕES NO EGITO REVELAM “SALÃO DE FESTAS” DO FARAÓ RAMSÉS II

ESCAVAÇÕES NO EGITO REVELAM “SALÃO DE FESTAS” DO FARAÓ RAMSÉS II

Local era utilizado pelo faraó durante celebrações e reuniões.


O grande faraó
Wikimedia Commons
Durante escavações no distrito de El-Matareya, no Egito, arqueólogos foram surpreendidos com a descoberta de um antigo salão de festas que pertenceu ao reinado Ramsés II.
De acordo com o egiptólogo Mamdouh al-Damaty, líder da expedição, o local era usado para celebrações e reuniões públicas. Além disso, os arqueólogos também se depararam com a descoberta um grande pote de cimento e um antigo estande.


O estande encontrado  Reprodução / Ministério de Antiguidades do Egito

As escavações também revelaram outros artefatos como cerâmicas e alguns blocos de pedras com inscrições hieroglíficas.
Sob o comando de Ramsés II, o Egito se tornou um império poderoso. Em suas mãos, o país virou potência militar, conquistou territórios dos hititas ao norte, dos assírios a leste e dos núbios ao sul, até atingir seu tamanho máximo. O seu reinado representou apogeu econômico e cultural do Egito.






Fonte de referência, pesquisa e estudos:

Estudo de DNA diz que há descendentes de cananeus entre árabes e judeus atuais

Estudo de DNA diz que há descendentes de cananeus entre árabes e judeus atuais

Um relatório científico revela que a herança genética dos cananeus está presente em judeus e árabes modernos.

Estudo de DNA diz que há descendentes de cananeus entre árabes e judeus atuaisOs cananeus são conhecidos como as pessoas que viveram em uma “terra que mana leite e mel” até serem vencidos pelos antigos israelitas e desaparecerem da história. Mas um relatório científico publicado nesta quinta-feira (28) revela que a herança genética dos cananeus está presente em muitos judeus e árabes modernos.
Segundo o estudo publicado pela Cell Press, a equipe extraiu o DNA dos ossos de 73 indivíduos enterrados ao longo de 1.500 anos em cinco locais cananeus espalhados por Israel e Jordânia. Eles também levaram em consideração dados de mais 20 indivíduos de quatro sites relatados anteriormente.
“Indivíduos de todos os locais são geneticamente similares”, diz o coautor e evolucionista molecular Liran Carmel, da Universidade Hebraica de Jerusalém. Embora os cananeus vivessem em regiões longínquas e nunca tenham se tornado um império, eles compartilhavam genes e uma cultura comum.
Os pesquisadores também fizeram uma comparação entre o DNA de povos antigos e modernos e descobriram que a maioria dos árabes e judeus da região têm mais da metade de seu DNA vinculados aos cananeus e outros povos que habitavam regiões como Síria, Líbano, Israel, Palestina, Iraque e Irã.
O estudo é resultado de uma colaboração entre o laboratório de Carmel, o antigo laboratório de DNA da Universidade de Harvard — liderado pelo geneticista David Reich — e outros grupos. Suas descobertas são as mais recentes de uma série de avanços na compreensão dos cananeus, que deixou para trás poucos registros escritos.
Marc Haber, geneticista do Wellcome Trust’s Sanger Institute, em Hinxton, no Reino Unido, co-liderou um estudo em 2017 com cinco indivíduos cananeus da cidade costeira de Sídon. Os resultados mostraram que os libaneses modernos podem traçar mais de 90% de sua ascendência genética aos cananeus.
Os textos bíblicos registram que Deus prometeu a terra de Canaã aos israelitas após o êxodo do Egito. A Bíblia diz que os hebreus conquistaram a região, mas as evidências arqueológicas não mostram uma destruição generalizada das populações cananéias. Eles teriam sido gradualmente dominados por invasores posteriores, como os filisteus, gregos e romanos.
O novo estudo demonstra ainda que um número significativo de pessoas, e não apenas mercadorias, se movimentava durante a primeira era de cidades e impérios da humanidade. Os genes dos indivíduos cananeus indicam ser uma mistura de locais e migrantes do Cáucaso, parte da fronteira entre a Europa e a Ásia, no início da Idade do Bronze.
Carmel espera expandir em breve as descobertas coletando DNA dos restos daqueles que podem ser identificados como hebreus, moabitas, amonitas e outros grupos mencionados na Bíblia e em outros textos.
Fonte: Guiame / com informações National Geographic / Foto: Mahmoud Zayat, AFP/Getty Images | 29/05/2020 - 10:35

Fonte de referência, pesquisa e estudos:

sábado, 30 de maio de 2020

A Nova Ordem Internacional do Século XIX - Antecedentes - Parte 6/11

A Nova Ordem Internacional do Século XIX - Antecedentes - Parte 6/11


O Congresso de Viena (1815) e o Concerto Europeu


O fim das guerras napoleônicas marcou o início de um sistema internacional baseado no equilíbrio de poder entre as Potências europeias que durou cem anos, até a Primeira Guerra Mundial. Foi o mais longo período de paz da história da Europa ou, pelo menos, o período em que não houve nenhuma guerra que envolvesse, de forma generalizada, as Potências europeias. Durante 40 anos, isto é, entre o Congresso de Viena e a Guerra da Crimeia (1854), não houve uma guerra sequer entre as grandes Potências e, nos 60 anos seguintes, exceto pela Guerra Franco-Prussiana de 1871, nenhum conflito importante ocorreu.

O Congresso de Viena foi marcado pelo medo e pelas lembranças trazidas pelos 25 anos anteriores. Os homens que reconstruíram o mapa da Europa em 1815 o fizeram preocupados em evitar que a ordem sofresse novos abalos. Apesar de todos os negociadores serem adversários da Revolução, estavam perfeitamente conscientes de que a Europa de 1815 não poderia voltar a ser aquela de 1792. Não obstante, estavam determinados a evitar novas catástrofes. Para isso, seriam utilizados dois princípios: o da legitimidade e o do equilíbrio europeu. Nas palavras de Duroselle (1976, p. 4):

Primeiro, restabelecer a ‘legitimidade’ dos soberanos. Mas ‘na ordem das combinações legítimas, ligar-se de preferência àquelas que podem com maior eficácia concorrer para o estabelecimento e conservação de um verdadeiro equilíbrio’. Serão, então, utilizados com flexibilidade e em proveito dos grandes Estados os dois princípios, um moral e jurídico, o da legitimidade, outro, puramente prático, o do equilíbrio europeu.

Como resultado dos debates de Viena, o mapa da Europa sofreu alterações importantes que refletiam a nova configuração de poder estabelecida pelas Grandes Potências. A Alemanha, por exemplo, passou de 300 Estados para 38 (comparar o Mapa 12 com o Mapa 11).

Santa Aliança: a mobilização dos monarcas europeus contra os levantes de caráter liberalUm fato, porém, não pode ser deixado de lado. Na conformação do novo sistema de equilíbrio europeu, a França continuava a grande preocupação. Sua condição hegemônica tinha sido excessivamente danosa para as outras Potências europeias. O Congresso de Viena foi realizado sob o signo de se evitar que ela ameaçasse novamente o resto do continente.

Dois tratados pós-Congresso de Viena merecem destaque. O primeiro é o Tratado da Santa Aliança, firmado entre o Czar da Rússia, o Imperador da Áustria e o Rei da Prússia, em 26 de setembro de 1815. O segundo é o tratado conhecido como o da Quádrupla Aliança, entre os Quatro Grandes (Inglaterra, Rússia, Áustria e Prússia) em 20 de novembro de 1815.



Fonte de referência, pesquisa e estudos:

Apocalipse Capítulo 8

Apocalipse Capítulo 8


As sete trombetas do Apocalipse - Pregações e Estudos Bíblicos


1 E, havendo aberto o sétimo selo, fez-se silêncio no céu quase por meia hora.
2 E vi os sete anjos, que estavam diante de Deus, e foram-lhes dadas sete trombetas.
3 E veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para o pôr com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro, que está diante do trono.
4 E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus.
5 E o anjo tomou o incensário, e o encheu do fogo do altar, e o lançou sobre a terra; e houve depois vozes, e trovões, e relâmpagos e terremotos.
6 E os sete anjos, que tinham as sete trombetas, prepararam-se para tocá-las.
7 E o primeiro anjo tocou a sua trombeta, e houve saraiva e fogo misturado com sangue, e foram lançados na terra, que foi queimada na sua terça parte; queimou-se a terça parte das árvores, e toda a erva verde foi queimada.
8 E o segundo anjo tocou a trombeta; e foi lançada no mar uma coisa como um grande monte ardendo em fogo, e tornou-se em sangue a terça parte do mar.
9 E morreu a terça parte das criaturas que tinham vida no mar; e perdeu-se a terça parte das naus.
10 E o terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas.
11 E o nome da estrela era Absinto, e a terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram das águas, porque se tornaram amargas.
12 E o quarto anjo tocou a sua trombeta, e foi ferida a terça parte do sol, e a terça parte da lua, e a terça parte das estrelas; para que a terça parte deles se escurecesse, e a terça parte do dia não brilhasse, e semelhantemente a noite.
13 E olhei, e ouvi um anjo voar pelo meio do céu, dizendo com grande voz: Ai! ai! ai! dos que habitam sobre a terra! por causa das outras vozes das trombetas dos três anjos que hão de ainda tocar.

Fonte de referência, pesquisa e estudos:

70s, 80s, 90s -- Nirvana, R.E.M, Scorpions, Bon Jovi, Led Zeppelin, U2, ...

OFFICIAL Somewhere over the Rainbow - Israel "IZ" Kamakawiwoʻole

Somewhere over the Rainbow - Além do arco-íris

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Números Capítulo 02



Resultado de imagem para Números Capítulo 1


1 E falou o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo:
2 Os filhos de Israel armarão as suas tendas, cada um debaixo da sua bandeira, segundo as insígnias da casa de seus pais; ao redor, defronte da tenda da congregação, armarão as suas tendas.
3 Os que armarem as suas tendas do lado do oriente, para o nascente, serão os da bandeira do exército de Judá, segundo os seus esquadrões, e Naassom, filho de Aminadabe, será príncipe dos filhos de Judá.
4 E o seu exército, os que foram contados deles, era de setenta e quatro mil e seiscentos.
5 E junto a ele armará as suas tendas a tribo de Issacar; e Natanael, filho de Zuar, será príncipe dos filhos de Issacar.
6 E o seu exército, os que foram contados deles, era de cinqüenta e quatro mil e quatrocentos.
7 Depois a tribo de Zebulom; e Eliabe, filho de Helam, será príncipe dos filhos de Zebulom.
8 E o seu exército, os que foram contados deles, era de cinqüenta e sete mil e quatrocentos.
9 Todos os que foram contados do exército de Judá, cento e oitenta e seis mil e quatrocentos, segundo os seus esquadrões, estes marcharão primeiro.
10 A bandeira do exército de Rúben, segundo os seus esquadrões, estará para o lado do sul; e Elizur, filho de Sedeur, será príncipe dos filhos de Rúben,
11 E o seu exército, os que foram contados deles, era de quarenta e seis mil e quinhentos.
12 E junto a ele armará as suas tendas a tribo de Simeão; e Selumiel, filho de Zurisadai, será príncipe dos filhos de Simeão.
13 E o seu exército, os que foram contados deles, era de cinqüenta e nove mil e trezentos.
14 Depois a tribo de Gade; e Eliasafe, filho de Reuel, será príncipe dos filhos de Gade.
15 E o seu exército, os que foram contados deles, era de quarenta e cinco mil e seiscentos e cinqüenta.
16 Todos os que foram contados no exército de Rúben foram cento e cinqüenta e um mil e quatrocentos e cinqüenta, segundo os seus esquadrões; e estes marcharão em segundo lugar.
17 Então partirá a tenda da congregação com o exército dos levitas no meio dos exércitos; como armaram as suas tendas, assim marcharão, cada um no seu lugar, segundo as suas bandeiras.
18 A bandeira do exército de Efraim segundo os seus esquadrões, estará para o lado do ocidente; e Elisama, filho de Amiúde, será príncipe dos filhos de Efraim.
19 E o seu exército, os que foram contados deles, era de quarenta mil e quinhentos.
20 E junto a ele estará a tribo de Manassés; e Gamaliel, filho de Pedazur, será príncipe dos filhos de Manassés.
21 E o seu exército, os que foram contados deles, era de trinta e dois mil e duzentos.
22 Depois a tribo de Benjamim; e Abidã, filho de Gideoni, será príncipe dos filhos de Benjamim,
23 E o seu exército, os que foram contados deles, era de trinta e cinco mil e quatrocentos.
24 Todos os que foram contados no exército de Efraim foram cento e oito mil e cem, segundo os seus esquadrões; e estes marcharão em terceiro lugar.
25 A bandeira do exército de Dã estará para o norte, segundo os seus esquadrões; e Aieser, filho de Amisadai, será príncipe dos filhos de Dã.
26 E o seu exército, os que foram contados deles, era de sessenta e dois mil e setecentos.
27 E junto a ele armará as suas tendas a tribo de Aser; e Pagiel, filho de Ocrã, será príncipe dos filhos de Aser.
28 E o seu exército, os que foram contados deles, era de quarenta e um mil e quinhentos.
29 Depois a tribo de Naftali; e Aira, filho de Enã, será príncipe dos filhos de Naftali.
30 E o seu exército, os que foram contados deles, era de cinqüenta e três mil e quatrocentos.
31 Todos os que foram contados no exército de Dã foram cento e cinqüenta e sete mil e seiscentos; estes marcharão em último lugar, segundo as suas bandeiras.
32 Estes são os que foram contados dos filhos de Israel, segundo a casa de seus pais; todos os que foram contados dos exércitos pelos seus esquadrões foram seiscentos e três mil e quinhentos e cinqüenta.
33 Mas os levitas não foram contados entre os filhos de Israel, como o Senhor ordenara a Moisés.
34 E os filhos de Israel fizeram conforme a tudo o que o Senhor ordenara a Moisés; assim armaram o arraial segundo as suas bandeiras, e assim marcharam, cada qual segundo as suas gerações, segundo a casa de seus pais.



quarta-feira, 27 de maio de 2020

Os Benefícios do Alho

OS BENEFÍCIOS DO ALHO

13 benefícios do alho para sua saúde (muito além do tempero)


       Além de deixar a comida deliciosa, o alho aumenta a imunidade, reduz o colesterol, previne a hipertensão, o derrame; e muito mais.

13 benefícios do alho para sua saúde (muito além do tempero)


O alho que deixa sua comida mais saborosa todos os dias é muito mais que um simples tempero. As grandes civilizações antigas, como os egípcios, os babilônios, os gregos, os romanos e os chineses exaltavam essa planta comestível. E isso, especialmente, por suas propriedades medicinais.
Quem nunca tomou um chá de alho contra os sintomas da gripe, por exemplo? Basicamente, se passa apertado para engolir um remédio caseiro potente, apesar de nada saboroso. Mesmo assim, depois disso o resfriado vai embora rapidinho, sem a necessidade de fármacos.

Apesar de causar desconforto enquanto está cru, por causa do cheiro e da picância, ele é um excelente aliado da saúde. A maioria dos benefícios do alho, aliás, se dão por meio de compostos de enxofre, liberados quando o dente é picado, esmagado ou mastigado.

Dentes que nutrem

Mas não é só isso. O alho também é altamente nutritivo para nosso corpo. Inclusive, contém pouquíssimas calorias.
Por exemplo, uma porção de 28 gramas de alho (mais ou menos 5 dentes) tem apenas 42 calorias. Desse total, 1,8 gramas é de proteína e 9 gramas, de carboidratos.

       Essa mesma porção de alho também contém 23% da ingestão diária recomendada de manganês; 17% da ingestão diária recomendada de vitamina B6; 15%, de vitamina C; 6% de selênio; e quantidades significativas de cálcio, cobre, potássio, ferro e vitamina B1.

Como tirar proveito do alho para a saúde?

Segundo especialistas, para ter acesso aos benefícios do alho para a saúde (que você confere abaixo), é preciso consumir de meio a 3 dentes de alho por dia.
A dica para potencializar os “milagres” do alho é picar ou amassar os dentes de alho 10 minutos antes de temperar a comida. Quem entende do assunto garante que esse descanso aumenta a quantidade de alicina, a principal responsável por suas propriedades benéficas à saúde.




Confira alguns benefícios do alho para sua saúde:


1. Combater vírus, bactérias e fungos, pois é rico em alicina;
2. Combater câncer de cólon, devido à presença dos sulfuretos de alila;
3. Prevenir a aterosclerose, por reduzir o colesterol alto e os triglicerídeos;
4. Proteger o coração, por reduzir o colesterol;
5. Diminuir a pressão a alta e prevenir trombose, por facilitar a circulação sanguínea;
6. Atuar como anti-inflamatório;
7. Melhorar os sintomas da asma e facilitar a respiração.
8. Melhorar a imunidade, se consumido cru, por ser rico em vitamina C e outros nutrientes que ajudam, especialmente, contra os sintomas de gripes e resfriados;
9. Prevenir a demência e a doença de Alzheimer, por conter antioxidantes que sustentam os mecanismos de proteção do organismo contra os danos causados pelos radicais livres, especialmente no cérebro;
10. Melhorar o desempenho atlético, por conter componentes capazes de reduzir a fadiga e aumentar a capacidade de trabalho (na Grécia Antiga ele já era usado também para esses fins);
11. Combater a intoxicação por metais pesados, especialmente o chumbo. O benefício fica por conta do enxofre do alho, que protege os órgãos internos;
12. Melhorar a saúde óssea, minimizando a perda da estrutura óssea e aumentando o estrogênio em mulheres (especialmente durante a menopausa);
13. Aumentar a longevidade, por combater doenças infecciosas, reduzir as chances de doenças do coração, aumentar a imunidade e contar com todas os demais benefícios já listados nessa seleção.
E então, você sabia que o alho poderia trazer tantos benefícios para sua vida? Você tem hábito de consumir esse tempero em seus dia a dia? Comente!
E, falando nesse tempero (que é também um santo remédio), não deixe de conferir ainda essa dica para facilitar sua vida na hora de manuseá-lo: Como descascar alho de maneira rápida e fácil.
Fonte: Tua SaúdeEcycle



Fonte de referência, pesquisa e estudos:

terça-feira, 26 de maio de 2020

O Casamento Verdadeiro

O Casamento Verdadeiro

Passo-a-passo de uma Cerimônia de Casamento | Mariée: Inspiração ...
        O Casamento verdadeiro te leva ao Reino de Deus, a união carnal somente; te leva ao inferno...
      Edifique seu casamento sobre uma rocha, esta rocha é Jesus Cristo, e não sobre a areia para não desmoronar, hoje vivenciamos casamentos e casamentos, é um casa separa e ainda os ajuntamentos de pessoas...
     Você que se considera um Cristão Evangélico (salvo por Jesus), mas no entanto existem ainda algumas condições sociais e espirituais a serem corrigidas, não encare este artigo como um julgamento ou ainda uma condenação; errar é algo humano mas no entanto deve-se buscar em Deus a correção de nossos erros (pecados), um dos grandes pecados que estão sendo acometidas as nossas igrejas é que pessoas se conhecem e começam a viver um grande amor, este amor parte para um relacionamento mais intimo, ai vem o pecado, sim o pecado da prostituição. 

     Um homem solteiro ou viúvo e uma mulher solteira ou viúva, o que os impede de selarem uma aliança verdadeira com Deus e com a pessoa que ama, se existe algum impedimento legal busque a resolução do impedimento, para que você seja liberto do pecado, viver sem contrair um matrimônio oficial perante um Juiz de Paz e principalmente perante Deus é um pecado, e são muitas as pessoas que vivem esta situação, coloque diante de seu companheiro, de sua companheira esta condição que você está vivendo "é um pecado de prostituição" só que a diferença entre viver no pecado e corrigir o erro do pecado. 
      "O Senhor prova o justo, mas o ímpio e a quem ama a injustiça, a sua alma odeia." (Salmos 11:5) o casamento é uma forma de justiça perante Deus e os homens, principalmente perante Deus que foi o criador, projetor e instituidor do casamento entre homem e mulher (o que te impede de consumar seu casamento) "Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da fornicação; Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; 1 Tessalonicenses 4:3-4." Fornicação é pecado...
       A palavra fornicação, apesar de ser bem conhecida no meio evangélico, só aparece na Bíblia Almeida versão Revista e Corrigida, nos versículos de At 15. 29 e 1 Co 5.1.
      Segundo o dicionário Almeida, fornicação significa "relações sexuais ilícitas (At 15.29, RC)"  

       A palavra Ilícita, segundo o mesmo dicionário, significa "Que é contra a lei ou a moral (Mt 5.32, RA)". Juntando as definições, podemos definir fornicação como "relação sexual feita de forma imoral e contra a lei de Deus".
     É preciso entender que fornicação não é apenas o sexo fora do casamento, mas também adultério (Mt 5.27-28), pornografia (I Co 6.18), homo sexualismo (Rm 1.27) e até mesmo o sexo contrário a natureza (Rm 1.26).
      Para Deus o sexo aprovado é somente aquele que é feito no casamento. No Antigo Testamento, o sexo era a consumação do casamento. Em Gênesis 24.67, a Bíblia narra o casamento de Isaque com Rebeca:


     "Isaque conduziu-a até à tenda de Sara, mãe dele, e tomou a Rebeca, e esta lhe foi por mulher. Ele a amou; assim, foi Isaque consolado depois da morte de sua mãe."
Em 1 Coríntios 6.16 a Bíblia Sagrada mostra que quando um homem tem relação com a prostituta, torna-se uma só carne com ela:
   "Ou não sabeis que o homem que se une à prostituta forma um só corpo com ela? Porque,
como se diz, serão os dois uma só carne."
   Uma só carne é a mesma expressão usada em Gêneses 2.24, texto referido a união (casamento) de Adão e Eva. Portanto, a relação sexual é a união de duas carnes em uma, o casamento.
     Desta forma não deve ser praticado por diversão ou alívio da carne; é um compromisso muito sério, e deve ser reservado para a pessoa separada por Deus para ser o cônjuge.           Um exemplo real que acomete os cristãos "sou cristão ou sou cristã" conheci alguém e vivemos maritalmente esta situação não existe na visão de Deus para o homem e mulher que se diz de Deus, o que te impede de casar oficialmente e retirar este peso de sua vida e da vida da pessoa que você ama, você tem medo ou vergonha e já se acomodou por estar nesta situação a muito tempo, Deus te chama hoje para acertar os ponteiros com Ele, não olhe para os críticos olhe somente para o Deus que te quer feliz aqui neste mundo e principalmente na vida eterna com Jesus Cristo.
     A pornografia e as carícias maliciosas do relacionamento do namoro ou noivado, como já foram citadas, também podem ser consideradas como fornicação, pois enquadram-se na imoralidade sexual descrita em 1 Coríntios 6.18.


"Fujam da imoralidade sexual! Qualquer outro pecado que alguém comete não afeta o corpo, mas a pessoa que comete imoralidade sexual peca contra o seu próprio corpo."
"Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; Romanos 1:23-24"
Jesus Cristo reforça a importância do casamento (oficial) criado e instituído por Deus: "Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher, E serão os dois uma só carne; e assim já não serão dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem. Marcos 10:7-9"


"Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la. Disse-lhe Jesus: Vai, chama o teu marido, e vem cá. A mulher respondeu, e disse: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Disseste bem: Não tenho marido; Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade. Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta. Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. 
       Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. João 4:15-24".
      Se existe a prática da fornicação em sua vida, deixe-a e peça perdão a Deus. Ande em santidade é será abençoado hoje e até a eternidade. Seja um verdadeiro adorador, não somo perfeitos humanamente falando mas quando nos referimos à Deus importa que sejamos verdadeiros pois Ele conhece e sabe o que passa em nosso coração pois Ele nos criou...




Fonte de referência, pesquisa e estudos:

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Expansão colonial

Expansão colonial


Outro aspecto importante da Sociedade Internacional do século XIX é a nova expansão colonial. Durante todo o século, mas sobretudo em sua segunda metade, desenvolveu-se um processo de conquistas europeias sobre a África e Ásia, denominado Neocolonialismo. Na virada do século, praticamente todo o continente africano, à exceção da Etiópia e da Libéria, estava sob jugo das Potências europeias como parte de seus impérios coloniais.

O Neocolonialismo foi a principal expressão do Nacionalismo e do Imperialismo, este último a forma assumida pelo capitalismo a partir da Segunda Revolução Industrial, segundo os globalistas.

Os defensores do Estado-nação entendiam o Estado como progressista (capaz de desenvolver uma economia, tecnologia, organização burocrática e força militar viáveis), ou seja, precisava ser pelo menos territorialmente grande. Para a sociedade burguesa moderna, liberal e progressista, a unidade estatal natural deveria ser extensa, daí o decorrente expansionismo colonial. O padrão de programa nacional do século XX seria diferente: Estado totalmente independente, homogêneo territorial e linguisticamente, laico e provavelmente republicano/parlamentar.


 O sionismo, que refundaria o Estado de Israel, seguiria esse padrão: tomar o território, inventar uma língua e laicizar as estruturas de um povo cuja unidade histórica havia sido apenas a prática de uma religião comum.


Europa – Wikipédia, a enciclopédia livreA concepção nacionalista de Estado do século XIX se casou perfeitamente com os objetivos capitalistas. O domínio das Potências europeias sobre povos dos outros continentes não foi apenas econômico, mas também militar, político e social, impondo à força um novo modelo de organização do trabalho que pudesse garantir, principalmente, a obtenção de matéria-prima para as indústrias europeias. À violência militar e à exploração do trabalho somam-se as imposições sociais, incluindo a disseminação do cristianismo entre os povos nativos, num processo de aculturação, sob a justificativa de que se estaria levando os valores ocidentais da “civilização” aos povos primitivos. Era o “ideal civilizador do homem branco”.

Nesse processo mercantil-civilizador, a África foi conquistada e dividida, o mesmo acontecendo com parte da Ásia. Impérios tradicionais como a China sucumbiram à hegemonia europeia. O mundo nunca se mostrara tão eurocêntrico, e as nações europeias efetivamente eram as protagonistas das relações internacionais. O planeta como um todo tornou-se o tabuleiro do jogo de poder entre as Potências europeias.





Fonte de referência, pesquisa e estudos:

domingo, 24 de maio de 2020

A Peste Negra - Resumo Histórico

A Peste Negra - Resumo Histórico



            A peste negra é uma doençcausada pelo bacilo Yersinia pestis, que desencadeou uma pandemia, isto é, uma proliferação generalizada, que ocorreu na segunda metade do século XIV, na Europa, matando um terço da população desse continente. Essa peste integrou a série de acontecimentos que contribuíram para a crise da Baixa Idade Média, como as revoltas camponesasa Guerra dos Cem Anos e o declínio da cavalaria medieval.

Origem e propagação da peste negra

          A peste negra tem sua origem no continente asiático, precisamente na China. Sua chegada à Europa está relacionada às caravanas de comércio que vinham da Ásia através do Mar Mediterrâneo e aportavam nas cidades costeiras europeias, como Veneza e Gênova. Calcula-se que cerca de um terço da população europeia tenha sido dizimada por conta da peste.
        A propagação da doença, inicialmente, deu-se por meio de ratos e, principalmente, pulgas infectados com o bacilo, que acabava sendo transmitido às pessoas quando essas eram picadas pelas pulgas – em cujo sistema digestivo a bactéria da peste multiplicava-se. Num estágio mais avançado, a doença começou a se propagar por via aérea, por meio de espirros e gotículas.
           Contribuíam com a propagação da doença as precárias condições de higiene e habitação que as cidades e vilas medievais possuíam – o que oferecia condições para as infestações de ratazanas e pulgas.
                Outro fenômeno da época em que se desencadeou a peste foi a atribuição da causa da moléstia aos povos estrangeiros, notadamente aos judeus. Os judeus, por não serem da Europa e por, desde a Idade Antigaviverem em constante migração, passando por várias regiões do mundo até se instalarem nos domínios do continente europeu, acabaram por se tornarem o “bode expiatório” das multidões enfurecidas. Milhares de judeus foram mortos durante a eclosão da peste.
A morte no cavalo ao fundo da pintura mostra o caráter universal da morte no contexto da pandemia de peste negra.
A morte no cavalo ao fundo da pintura mostra o caráter universal da morte no contexto da pandemia de peste negra.
Uma das tentativas de compreensão do fenômeno mortífero da peste negra pode ser vista nas representações pictóricas da chamada “A dança macabra”, ou “A Dança da Morte”. As pinturas que retratavam a “dança macabra” apresentavam uma concepção nítida da inexorabilidade da morte e da putrefação do corpo. Nestas pinturas, aparecem sempre esqueletos humanos “dançando” em meio a todo tipo de pessoa, desde senhores e clérigos até artesãos e camponeses – evidenciando assim o caráter universal da morte.

Sintomas da peste negra

Como ainda não havia um desenvolvimento satisfatório da ciência médica nesta época, não se sabia as causas da peste e tampouco os meios de tratá-la ou de sanear as cidades e vilas. A peste foi denominada “negra” por conta das afecções na pele da pessoa acometida por ela, isto é, a doença provocava grandes manchas negras na pele, seguidas de inchaços em regiões de grande concentração de gânglios do sistema linfático, como a virilha e as axilas.
Esses inchaços também eram conhecidos como “bubões”, por isso a peste negra também é conhecida como peste bubônica. A morte pela peste era dolorosa e terrível, além de rápida, pois variava de dois a cinco dias após a infecção. 
ASSISTA ÀS VÍDEO AULAS: 


CINCO DOENÇAS QUE MARCARAM A HISTÓRIA DA HUMANIDADE:

https://www.historiadomundo.com.br/curiosidades/cinco-doencas-que-marcaram-a-historia-da-humanidade.htm





Fonte de referência, pesquisa e estudos:

My Instagram

Classificação da Perseguição Religiosa 2020

Classificação da Perseguição Religiosa 2020
Classificação dos 50 Países com Perseguição Religiosa, onde seguir à Jesus pode custar a vida. Atualizado em 2020.

O Evangelho de Jesus Cristo, alçando o Mundo!

Mundo Curioso...