Mensagens de Bom Dia com Deus - Good morning messages with God - ¡Mensajes de buenos días con Dios

Bom Dia com Deus

Canal Luisa Criativa

Escola Bíblica

domingo, 2 de dezembro de 2018

Simbolismo no Brasil - Literatura

Simbolismo no Brasil - Literatura


Resultado de imagem para simbolismo no brasil literatura

simbolismo no Brasil surge em 1893 com a publicação de "Missal" e "Broquéis", de Cruz e Souza. Esse é considerado o maior representante do movimento no país, ao lado de Alphonsus de Guimarães.

Características do Simbolismo
  • Não-racionalidade
  • Subjetivismo, individualismo e imaginação
  • Espiritualidade e transcendentalidade
  • Subconsciente e inconsciente
  • Musicalidade e misticismo
  • Figuras de linguagem: sinestesiaaliteraçãoassonância

Autores Brasileiros Simbolistas

Cruz e Sousa (1861-1898)

Resultado de imagem para simbolismo no brasil literatura

Considerado o precursor do simbolismo no Brasil, João da Cruz e Sousa foi um poeta brasileiro nascido em Florianópolis.
Sua obra é marcada pela musicalidade e espiritualidade com temáticas individualistas, satânicas, sensuais. Suas principais obras: Missal (1893), Broquéis (1893), Tropos e fantasias (1885), Faróis (1900) e Últimos Sonetos (1905).

Alphonsus de Guimarães (1870-1921)

Resultado de imagem para Alphonsus de Guimarães

Um dos principais poetas simbolistas do Brasil, Afonso Henrique da Costa Guimarães, possui uma obra marcada pela sensibilidade, espiritualidade, misticismo, religiosidade. Sua temática é a morte, a solidão, o sofrimento e o amor.
Sua produção literária apresenta características neo-romântico, árcades e simbolistas. Suas.principais obras: Setenário das dores de Nossa Senhora (1899), Dona Mística (1899), Kyriale (1902), Pastoral aos crentes do amor e da morte (1923).

Augusto dos Anjos (1884-1914)

Resultado de imagem para Augusto dos Anjos

Augusto dos Anjos foi um dos grandes poetas brasileiros simbolistas, embora, muitas vezes, sua obra apresente características pré-modernas.
Patrono da cadeira número 1 da Academia Paraibana de Letras, publicou um livro intitulado "Eu", e foi chamado de "Poeta da morte". Isso porque seus poemas exploram temas sombrios.
Leia também:

Simbolismo em Portugal

O marco inicial do simbolismo português foi a publicação da obra "Oaristos", de Eugênio de Castro (1869-1944) em 1890.
Os poetas simbolistas portugueses que merecem destaque são: Camilo Pessanha (1867-1926), Eugênio de Castro (1869-1944), Augusto Gil (1873-1929), Raul Brandão (1867-1930) e Antônio Nobre (1867-1900).
Saiba mais sobre o Simbolismo em Portugal.


Fonte de referência, estudos e pesquisa: https://www.todamateria.com.br/simbolismo-no-brasil/

sábado, 1 de dezembro de 2018

O Mito e a Filosofia

O Mito e a Filosofia

Resultado de imagem para O Mito e a Filosofia
Mito, do grego mýthos, é uma narrativa tradicional cujo objetivo é explicar a origem e existência das coisas.

Origem do Mito

Resultado de imagem para O Mito e a Filosofia
Esse foi o recurso utilizado durante anos para explicar tudo o que existe no Universo. Desta forma, foram criados mitos para explicar a origem dos homens, dos sentimentos, dos fenômenos naturais, entre outros.
O mito era considerado uma história sagrada, narrada pelo rapsodo - que supostamente era a pessoa escolhida pelos deuses para transmitir oralmente as narrativas.
O fato de o narrador advir de uma escolha divina, atribuía ao mito o caráter de incontestabilidade, pois os deuses eram inquestionáveis.
Importa referir que, além de explicar as origens, a mitologia - o conjunto dessas histórias fantásticas - desempenhavam um papel moral.
Esse tipo de narrativa era pertinente para responder aos questionamentos até que, a partir do século VII a.C. as explicações oriundas dessas histórias iam deixando de satisfazer os primeiros filósofos gregos - os pré-socráticos.
Assim, o mundo começava a ser investigado através da razão, priorizando o natural em detrimento do sobrenatural. Começando a fazer uso da razão, os filósofos não acreditavam nos mitos e exigiam comprovações.

Surgimento da Filosofia

Resultado de imagem para Surgimento da Filosofia
O surgimento da Filosofia se deu na Grécia, mais precisamente com a formação da pólis - cidade-Estado grega. Lá, os cidadãos discutiam política em público, tentando chegar à melhor forma de organização da sociedade.
Isso motivava o uso do raciocínio, da reflexão. Com o tempo, as pessoas não discutiam apenas política, mas se indagavam acerca de vários aspectos, o que levou ao crescimento da investigação.
Desta forma, a transição entre o pensamento mítico e o pensamento racional aconteceu de forma progressiva.
Os filósofos pré-socráticos buscaram nos elementos da natureza a resposta sobre as origens.

O que Mito e Filosofia têm em comum?

Ambos buscam explicar as origens, sendo basicamente essa a característica que os aproxima. Vejamos, entretanto, quais as suas diferenças.

Diferenças entre o Mito e a Filosofia

MitoFilosofia
Fantástico, imaginárioVerdadeiro, real
SobrenaturalNatural
InquestionávelQuestionável
Fantasia, incoerênciaRazão, coerência
IrracionalLógico
Que tal ler os seguintes mitos?

A Filosofia e a Ciência

Até a Idade Média não havia diferença entre Filosofia e Ciência. Com o desenvolvimento da análise e investigação, todavia, surgiram a Matemática, a Química, a Geografia, a Sociologia, enfim, as diversas áreas científicas.
A Filosofia é, assim, a origem para todas as ciências.
Fonte de referência, estudos e pesquisa: https://www.todamateria.com.br/o-mito-e-a-filosofia/

Dez Pragas do Egito

Dez Pragas do Egito



As dez pragas do Egito são uma série de desastres infligidos pelo deus de Israel ao Egito, diante da recusa do Faraó em libertar o povo de Israel.

O episódio está narrado no Livro do Êxodo e são feitas referências no Livro dos Salmos bem como em outros trechos da Torá e Bíblia Sagrada.

Motivos do envio das Dez Pragas

As dez pragas foram o meio encontrado por Deus para convencer o Faraó a libertar os israelitas. Ao ver o dano que elas causavam à agricultura, ao gado e aos egípcios, o Faraó aceitava libertar o povo hebreu.
No entanto, assim que elas terminavam, ele voltava atrás. Por isso, as pragas se prolongaram até a morte dos primogênitos egípcios.
As dez pragas foram narradas em forma de poemas oriundos das tradições orais das tribos de Israel. Num sentido mais amplo, contam a batalha entre o poder do deus hebreu e os deuses egípcios.
De um lado, temos a Moisés e seu irmão Aarão, de outro, o Faraó e seus sacerdotes, que tentam repetir as pragas através de suas artes.
A partir deste episódio, os israelitas tomaram consciência do poder do seu Deus, foi instituída a Páscoa e começou a longa travessia pelo deserto rumo a Israel.
Posteriormente, os cristãos deram novo significado a Páscoa judaica ao identificá-la com a ressurreição de Cristo.

Pragas

1. As águas do rio Nilo se transformaram em sangue e ninguém conseguia bebê-las.

Dez Pragas do Egito

2. Sete dias depois, um grande número de rãs cobriu toda a terra e as casas dos egípcios.

Dez Pragas do Egito

3. Surgem mosquitos que atacaram os seres humanos e animais causando grande destruição. Desta vez, os sacerdotes do faraó não puderam repetir a mesma experiência e admitiram que era obra de um ser superior à eles.

Dez Pragas do Egito

4. Aparecem piolhos em todo o Egito, à exceção da região de Gosen onde viviam os israelitas.

Dez Pragas do Egito

5. Matança do gado. Todos os animais que pertenciam aos egípcios morreram, mas não aqueles que eram propriedade dos israelitas.

Dez Pragas do Egito

6. Úlceras surgiram no corpo dos homens e dos animais provocando grande sofrimento.

Dez Pragas do Egito

7. Tempestades de granizo que acabaram com a colheita, o gado e mataram as pessoas que estavam no campo.

Dez Pragas do Egito

8. Gafanhotos destroem as plantações

Dez Pragas do Egito

9. As trevas cobrem o sol por três dias.

Dez Pragas do Egito

10. Morte dos primogênitos egípcios, desde os filhos de escravos até o do Faraó.

Dez Pragas do Egito

Significado das Dez Pragas do Egito

As pragas podem ser entendidas no sentido espiritual. Cada um desses flagelos estaria dirigido a um deus egípcio específico, e assim, o deus único de Israel mostra que é superior a todos eles.
Ao provar que é maior que a totalidade dos deuses venerados, Deus revela seu projeto para o povo escolhido e institui uma aliança perpétua com as tribos de Israel.
Para celebrar a libertação dos israelitas em escravos para homens livres é instituída a Páscoa (Pessach, passagem em hebraico).
Deste modo, a recordação das pragas e de todo o processo em torno da liberação dos israelitas é a festa central da religião judaica e celebrada anualmente.

Consequências das Dez Pragas

Após esta série de desgraças, o Faraó deixa partir os israelitas, mas de novo se arrepende desta decisão. Por isso, manda seu exército ao encalço dos hebreus. Não consegue alcançá-lo porque uma coluna de fogo separava os egípcios dos israelitas.
Ao chegar à beira do Mar Vermelho, Moisés não tem outra opção senão atravessá-lo e apela novamente para a intervenção divina.
O mar se abre, os israelitas o atravessam, mas quando os egípcios os seguem, as águas voltam ao seu curso, afogando-os.

Curiosidades

  • Sete ou dez? Dez foram as pragas infligidas ao Egito e sete serão os flagelos com que Deus castigará a Terra no Apocalipse.
  • As dez pragas do Egito originaram inúmeros filmes como o clássico "Os Dez Mandamentos", de Cecil B.DeMille, em 1956 até uma novela na televisão brasileira.
  • Em 2010, um grupo de cientistas anunciou que, provavelmente, as pragas do Egito foram consequências de uma séride de mudanças climáticas na região.
Leia mais:
Fonte de referências, estudos e pesquisa: https://www.todamateria.com.br/dez-pragas-do-egito/


My Instagram

O Evangelho de Jesus Cristo, alçando o Mundo!